Acústica


Beetham Tower, edifício em Manchester que produz som

maxresdefault

Beetham tower é o edifício mais alto de Manchester e um dos mais altos do Reino Unido, mas o prédio não é conhecido só pela sua altura, mas também pelo ruído sombrio que produz quando é atingido por ventos fortes. O som produzido pode ser ouvido de longe e irrita as pessoas. Os responsáveis pela construção do edifício já até se desculparam pelo ocorrido, mas nada foi feito para resolver o problema do ruído.

 

O Beetham tower, além de ter 169 metros de altura e “cantar” em alguns comentos, ele possui sua próprio conta no twitter

Captura de tela 2015-12-04 04.32.34

Apesar do ruído claramente audível e perturbador, alguma pessoas levam na brincadeira e fizeram outras contas no twitter para o Beetham tower.

Captura de tela 2015-12-04 04.51.03

 

 

Captura de tela 2015-12-04 04.50.45

 

Clique e saiba mais


Parque ao redor do aeroporto de Amsterdã ajuda a reduzir ruído na região

Buitenschot-Land-Art-Park-5

O chamado Buitenschot Land Art Park construído em outubro de 2013, nas proximidades do aeroporto de Amsterdã, Schiphol, um dos mais movimentados do mundo, é um espaço recreativo com ciclovias, esculturas interativas e se assemelha a um labirinto, mas acima de tudo isso o parque foi projetado para reduzir o ruído causado pelas aeronaves do aeroporto.

Ruídos de baixa frequência são difíceis de controlar e barreiras acústicas comuns não são um método eficaz para resolver esse problema, para achar outra alternativa, a Organização Holandesa para Pesquisa Científica Aplicada (TNO) fez uma pesquisa e descobriu que na época em que os agricultores das proximidades aravam seus campos, o ruído diminuía sendo absorvido pelos cumes dos sulcos na terra ou refletidos de forma que não chegassem nas regiões habitadas.

O solução então estava em moldar o terreno circundante ao aeroporto para abafar o máximo possível o ruído, para isso o aeroporto trouxe a H+N+S Landscape Architects e o artista Paul De Kort para trabalharem no terreno.

De Kort fez o designe do parque se baseando nas figuras de ChladniUsando um GPS, De Kut arrou 150 sulcos retos e simétricos com extremidades de 1,80m de altura entre eles e entre um vale e outro, o artista construiu miniparque e ciclovias.

Além de ter ficado um lugar bonito e agradável, o parque ajudou a reduzir a poluição sonora na região pela metade e em todos os 35 pontos monitorados o ruído estava abaixo dos níveis recomendados.

Para saber mais visite o site


Ruído e saúde: reflexão sobre a atuação fonoaudiológica

faixa

Os workshops da Semana Acadêmica da Engenharia Acústica começam a partir da semana do dia 26/10. Vários workshops aconteceram durante essa semana e entre eles teremos Ruído e saúde: reflexão sobre a atuação fonoaudiológica ministrado pela Valdete Valentins, coordenadora regional e nacional do INAD.

 

Sobre o Workshop:

No workshop serão abordadas questões teórico-práticas e reflexivas sobre os temas Ruído e Saúde: Como ouvimos. Diferentes fontes geradoras do ruído. Efeitos auditivos e extra-auditivos. Como se proteger dos efeitos do ruído. Quem é candidato e quando realizar uma avaliação auditiva. Atuação interdisciplinar. Não será necessário conhecimento prévio.

 

Banner-fono

 

Sobre Valdete Valentins:

Valdete Alves Valentins dos Santos Filha, graduada em Fonoaudiologia pela Fundação Universitária de Ciências da Saúde de Alagoas Governador Lamenha Filho (2003), Especialização em Eletrofisiologia da Audição pela Universidade de São Paulo – USP (2005), Mestre em Fonoaudiologia – Distúrbios da Comunicação Humana pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC SP (2005), Doutora em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação – Comunicação Humana pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo FMUSP (2009) e Curso de Atualização em Promoção da Saúde na FMUSP (2011). Experiência na área da Audiologia, atuando na Saúde Auditiva do Trabalhador e Otoneurologia. Atuação Profissional no Ambulatório de Saúde Ocupacional da TAM Linhas Aéreas e FORD Company Brasil. Atualmente, professora adjunto do Curso de Fonoaudiologia e do Programa de Pós-graduação em Distúrbios da Comunicação Humana (PPGDCH) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Trabalha também como coordenadora regional e nacional do INAD Brasil.

 

Mais informações acesso o site