Sobre uso correto de termos de acústica e comunicação com a mídia


Na semana passada o coordenador geral do INAD, Prof. Stephan Paul, falou no encontro da American Society of Acoustics em Seattle, EUA, sobre os problemas oriundos do uso incorreto dos termos da área de acústica e comunicação com a mídia. Um dos desafios do INAD será justamente a comunicação sobre conceitos de acústica e poluição sonora com a mídia.

O dicionário técnico dos termos da acústica que tenham relação direta com os assuntos poluição sonora, medição acústica, proteção auditiva e medidas de mitigação da poluição sonora é uma das ferramentas de orientação para comunicação com a mídia.

Resumo da apresentação dada no Encontro da American Society of Acoustics:

When “keep it simple” turns into dangerous misconceptions: A Brazilian case study.

Communicating acoustics to naive subjects by means of the news media requires a good balance between “keep it simple” and correctness. Unfortunatelyin Brazil, the balance is usually not maintained and “keep it simple” is often even substituted by erratic use of terms and concepts, not only in news media material [Paul, S.: Proceedings of the XXIII Encontro da Soc. Brasileirade Acústica (2010)]. The analysis of Brazilian news media material, but also folders, brochures, etc., issued by equipment suppliers, shows terrific errors regarding even simples concepts such as the definition of sound. Unfortunately it can be even shown that erratic use of terms and concepts in news media, brochures, etc., negatively affects the Brazilian legislative, causing erratic noise pollution laws. To change this specific situation in Brazil, a joint effort of the Brazilian acoustics community is required, e.g., on (1) issuing a guide on “communicating acoustics correctly,” (2) introducing a Brazilian standard that defines terms and concepts in acoustics (first proposals made by Souza and Paul: [Ferramentas para uma padronização dos termos utilizados em acústica e vibrações, Acústica&Vibrações,42, (2010)], and (3) thorough revision of Brazilian print and  online material.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *